in ,

Estratégias para melhorar a motivação dos estudantes

Desde já, gerar motivação nos estudantes é um dos principais desafios de qualquer instituição de educação, e até mesmo dos próprios estudantes.

Depois de 2020, muitas instituições de ensino (IEs) que já tinham dificuldade de manter seus alunos motivados em aulas presenciais se viram obrigadas a repensar suas estratégias educacionais para o contexto virtual do ensino remoto.

Leia também: Gestão pública: saiba mais sobre o curso!

De antemão, a pressão para manter a motivação dos estudantes está muito relacionada com a redução da evasão estudantil, além de garantir um ensino de qualidade. Assim, para quem está em busca de um curso superior, é fundamental ter motivação para estudar muito.

Por sua vez, é preciso fazer exercícios por várias horas e trocar momentos em família ou com os amigos para se manter focado. Isso faz parte de quem deseja ter uma boa nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Nesse contexto, a concorrência por uma vaga é cada vez maior, sendo necessário um elevado nível de conhecimento em todas as disciplinas, incluindo aquelas que você tem menor afinidade.

Dessa forma, neste post, pontuamos 10 formas de colocar em prática estratégias que melhoram a motivação dos estudantes. Pegue seus brindes personalizados bloco de anotações e comece a anotar!

Como gerar maior motivação para os alunos?

Antes de tudo, como abordado anteriormente, a motivação dos alunos já era um grande desafio para as IEs com aulas presenciais.

No cenário de um ensino híbrido ou aulas online, as dúvidas e os questionamentos são como fazer para motivar os alunos e como fazer isso com aulas online de educação a distância (EaD).

Visando ajudar você a solucionar essas questões, listamos a seguir 10 dicas para aplicar no ensino e garantir uma maior motivação para os alunos, melhorando a qualidade do ensino e diminuindo as taxas de evasão.

Leia também: Crédito na pós-graduação: por que contratar?

1. Adote metodologias ativas

De antemão, adotar metodologias ativas no ensino é de grande ajuda para a motivação dos alunos, pois elas transformam o modelo clássico das salas de aulas e colocam o aluno como parte central e ativa do próprio aprendizado.

Dessa forma, é possível uma grande flexibilidade na aplicação de estratégias de metodologias ativas nas instituições de ensino, pois existem várias estratégias.

O grande segredo é que todos os modelos de ensino ativo colocam o aluno em uma posição de protagonismo e personalizam a experiência de cada um.

Em outras palavras, tendo acesso a um ensino mais personalizado e com maior autonomia, os alunos acabam ficando mais motivados, pois passam a atuar em uma posição mais ativa dentro de seu próprio processo de aprendizagem.

Mesmo para eventos de uma empresa ou uma palestra de conscientização segurança do trabalho, utilizar a metodologia ativa é de grande valia.

Agora, aboa notícia é que as metodologias ativas não funcionam apenas no ensino presencial, podendo ser muito bem aplicadas no ensino híbrido e nos diferentes tipos de EaD.

2. Aproveite as ferramentas digitais

O fato é que a maioria dos estudantes está familiarizado com o uso da tecnologia, de forma que os smartphones são acompanhantes constantes dos alunos tanto nas aulas presenciais como nas disciplinas online.

Dessa forma, é interessante que sempre que possível os professores desfrutem de ferramentas e dispositivos digitais como:

  • Redes sociais;
  • Blogs;
  • Grupos online;
  • Plataformas digitais de aprendizagem.

Isso faz com que se aproximem e motivem mais os seus alunos, assim como investir em comprar projetor para passar suas aulas por slides.

Saiba que desenvolver lições em ambientes virtuais permite que os estudantes possam estudar onde e quando quiserem, além de explorar uma linguagem e ferramenta que eles dominam.

3. Estimule a cultura de feedbacks

A princípio, uma cultura de feedback já é uma constante em várias empresas ao redor do mundo e isso pode trazer muitos benefícios para sua instituição de ensino, inclusive afetando a motivação dos seus alunos.

Assim, criar o hábito de dar e receber feedbacks ajuda a estabelecer uma relação horizontal entre estudantes e professores. Com esse diálogo entre ambas as partes, se tem um melhor caminho para potencializar o desempenho em sala de aula.

4. Invista no ensino por competências

O estudo por competências conecta diferentes áreas do saber indo além da teoria. Então, ese é um tipo de ensino que tem como objetivo combinar conhecimentos, atitudes, recursos, valores e estímulos para desenvolver novas capacidades, como habilidades práticas, cognitivas, técnicas e socioemocionais.

Geralmente aliado às metodologias de ensino ativas, o ensino por competências faz com que os estudantes recebam uma formação contemporânea. Isso é muito bom, pois o mercado de trabalho não exige apenas conhecimentos técnicos, mas também habilidades como:

  • Maturidade;
  • Proatividade;
  • Habilidade de comunicação;
  • Resolução de conflitos;
  • Autonomia, entre outras competências.

Nesse sentido, um bom exercício são projetos em grupo e multidisciplinares que simulam atividades do dia a dia profissional, como de uma consultoria técnica ambiental

Isso pode ser uma iniciativa interessante para motivar os alunos, além de fornecer uma formação mais completa.

5. Realize projetos interdisciplinares

Os projetos interdisciplinares são uma ótima forma para aplicar metodologias ativas e o ensino das competências.

Indo mais além, esse tipo de iniciativa permite que os alunos tenham uma visão melhor do mundo e compreendam como uma disciplina A se relaciona com a B, C, e por aí vai.

6. Invista na capacitação dos professores

Primordialmente, sejam em aulas presenciais ou no ensino online, é muito importante a capacitação do corpo docente.

Visando essa maior motivação para os alunos e uma menor taxa de evasão, é importante que os docentes saibam construir pontes com seus alunos, ajudando-os a evoluir e perceber suas limitações para superá-las.

7. Personalize o ensino e as interações

Personalizando o ensino e a interação com o aluno, a instituição de ensino cria um vínculo mais forte com seus alunos. Sendo assim, é fundamental ter a compreensão de que cada aluno tem sua realidade e necessidades diversificadas.

8. Defina um objetivo de forma clara

Antes de tudo, para quem está elaborando seu planejamento de estudos, é importante estabelecer objetivos específicos. Ao mesmo tempo, procure sempre ser claro e realista consigo mesmo, e assim vai criar uma razão para estudar, mantendo-o sempre motivado.

Se você está em dúvida de como estipular esse objetivo, alguns exemplos são fazer 835 pontos no Enem, tirar nota máxima na redação, acertar no mínimo 80% das questões em matérias que têm mais dificuldade.

O importante é criar um objetivo viável e que pode ser concretizado. Sob o mesmo ponto de vista, não tente dar passos maiores que sua perna, porque esta postura não vai levar você a lugar nenhum, sendo importante ser sincero consigo mesmo para conseguir um bom desempenho.

Por fim, são perfis organizados e proativos que são procurados por uma empresa de suporte técnico em informática.

9. Estabeleça metas realistas para cumprir o objetivo

À primeira vista, depois de definir um objetivo claro, o próximo passo é estabelecer metas realistas para atingi-lo. Isso é muito importante para seguir em frente com os estudos, com metas que lhe propiciem manter o foco e alcançar o resultado esperado.

Com essa iniciativa, você terá um plano de estudos mais eficiente, podendo estabelecer metas como escrever uma redação a cada 15 dias até a prova do Enem, com temas que podem ser cobrados no exame.

Do mesmo modo, outras metas são fazer exercícios diários das matérias abordadas em sala de aula para reter melhor as informações e revisar a cada 15 dias o conteúdo já estudado para estar preparado.

É fundamental que as metas estipuladas estejam de acordo com o que você possa cumprir. Ao estudar com bom senso, você estará mais tranquilo e qualificado para fazer uma excelente prova.

10. Crie recompensas para suas metas cumpridas

Desde já, uma empresa de administração de condomínio comercial sabe que ninguém é de ferro, mas a dedicação é muito importante para alcançar nossos objetivos.

Porém, é fundamental um equilíbrio entre trabalho, estudos e lazer. Então, se você cumpre seu planejamento dentro das expectativas, por que não criar recompensas que vão lhe trazer alegria?

Nesse viés, você pode pensar em algo que gostaria de fazer no final de semana, como ir à praia, visitar os amigos, ir ao cinema, dedicar um tempo para ler ou colocar suas séries em dia, ou até mesmo melhorar a organização de arquivos da sua empresa.

Em suma, ao conciliar estudos com momentos de prazer, você fica mais disposto e motivado para aprender e reter as informações. 

Leia também: Engenharia Aeronáutica é o curso para fãs de Top Gun e aviões

Considerações finais: mantenha o foco!

Em síntese, nem tudo acontece da forma que queremos, e manter a motivação nos estudos é um desafio para muitos alunos. Apesar disso, você precisa manter o seu foco e estudar para uma prova tão importante como o Enem e conquistar uma vaga em uma boa universidade.

Portanto, tome cuidado para que problemas com familiares ou amigos tirem sua concentração. Tente focar nos benefícios que você terá no futuro quando conseguir concluir uma faculdade em uma instituição de ensino reconhecida pelo mercado.

Enfim, tendo essa postura e seguindo nossas 10 dicas, você vai manter a motivação para estudar, e mesmo que não consiga ter foco na primeira tentativa, não desanime.

Afinal, a persistência é uma das grandes qualidades de pessoas que se tornam vencedores ao longo dessa vida. Somente dessa maneira será possível conseguir o seu tão sonhado emprego em uma empresa que realiza estudo de impacto de vizinhança, por exemplo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Burnout: o que é e dicas sobre o tratamento

Dúvidas nos estudos de inglês? Tecnologia pode ajudar