in ,

Como construir um propósito profissional e de vida?

Descobrir seu propósito profissional e de vida nem sempre é fácil. Há muitas coisas que podem definir aquilo que você almeja em termos de carreira ou vida pessoal. No entanto, há alguns passos que podem ser seguidos para determinar qual caminho tomar e formar seu plano de ação.

Em primeiro lugar, é importante entender que o propósito profissional e de vida não vem da noite para o dia. É necessário trabalho e planejamento para que você descubra aquilo que pretende tomar como sua ambição e objetivo, como diz a CEO da Viaflow, Graziele Rossato na live “Como construir um propósito profissional e de vida”, ocorrida no dia 15.

Ela ainda afirma que, o propósito profissional e de vida não deve ser motivo para frustração caso não seja encontrado. A pessoa precisa entender que, nem sempre, a tarefa é simples e pode demorar ou, simplesmente, não acontecer e isso não significa que ela deva desistir.

Quem também participou da live falando sobre propósito profissional e de vida foi o Diretor Executivo da Fundacred, Nivio Delgado. Entre dicas de livros e vivência, o CEO também apresentou os 3 passos para encontrar seu propósito, confira.

1 – Propósito profissional e de vida

O primeiro passo é entender que o propósito profissional e o de vida devem ser correlacionados – se não forem os mesmos. Dessa forma você consegue utilizar sua energia de forma melhor, tendo um único foco: seu propósito.

2 – Entender quem somos

“Para identificar nosso talento, é preciso que respeitemos quem a gente é”. A frase dita por Nivio, durante o webinar “Como construir um propósito profissional e de vida” é um resumo do passo 2.

Esse passo é importante, pois ao entender quem somos e o que aprendemos melhor, conseguimos identificar nossos talentos. Dessa forma identificamos o que fazemos de forma mais natural e eficaz e podemos utilizar nossa energia e tempo ali.

3 – Identificar as necessidades do mundo

Ao encontrar nossos talentos e identificar as necessidades do mundo, temos um propósito. Isso acontece, pois ao identificar essas necessidades você encontra o que Aristóteles chamava de vocação, ou seja, aquilo que se faz bem e ajuda a mudar as coisas. É difícil encontrá-las, mas é necessário ir em frente nessa busca.

Se quiser saber mais sobre o assunto, confira o Webinar em que o Diretor Executivo Nivio Delgado participou. Clique aqui.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0
Engenheiro trabalhando.

Graduação em Engenharia: conheça 10 opções

Tipos de professor

5 tipos de professor que todo mundo já teve