in ,

O que analisar para fazer um cronograma de estudos?

Estudar sozinho(a) não é fácil, mas é uma realidade de quase todos os alunos. Afinal, seja cursando a distância ou presencial, um cronograma de estudos é bem-vindo em semanas de prova, entrega de trabalhos ou simplesmente para colocar a matéria em dia.

Isso que nem estamos entrando no tema “estudar para o vestibular”, hein? Aí sim a coisa aperta e programar horários para a educação é mais do que necessário. Nesse sentido, hoje vamos dar algumas dicas para você se organizar melhor e idealizar um cronograma de estudos ideal, adequado a sua rotina. 

Escolha o melhor turno ou horário

Todo mundo tem um horário ou turno em que funciona melhor, estamos certos? Isso, como em todas as áreas da vida, também serve para delimitar seu tempo para aprender. 

Não adianta nada você ser uma pessoa matutina e desenvolver um cronograma de estudos em que o período reservado para tal começa às 20h. Ou, ao contrário, se você for mais produtivo à noite, o melhor é evitar estudar logo cedo

É claro que nem sempre podemos encaixar todas as nossas preferências e formar um planejamento que converse perfeitamente com o possível, mas não custa tentar. Para isso, escolha dias em que você está mais tranquilo(a) e adapte seu cronograma de estudos a eles

Vale dar uma ajudinha no cérebro, né?

Lembre-se das pausas de sobrevivência

Nesse tópico não estamos nem falando de descansar, e sim de necessidades fisiológicas do ser humano. Você sabe, quando a gente engrena nos estudos, é difícil parar para o básico! 

Ainda assim, é importante considerar horários para refeições do dia, como o almoço, a janta e lanches nesse meio tempo. Não se esqueça, também, que você vai ao banheiro, toma banho, água e conversa com algumas pessoas durante o dia. 

Sim, parece bobo, mas na hora de criar um cronograma de estudos, vale colocar tudo na ponta do lápis. Se o planejamento for para uma prova importante, por exemplo, é comum perdermos a hora em meio aos livros e esquecermos de tarefas importantes. Fique atento(a)!

Descanso não é besteira

Essa dica pode soar óbvia, já que muito provavelmente você está  cansado(a) de saber que relaxar também é necessário para ser produtivo(a). Fato é que nem sempre levamos isso ao pé da letra! 

Ou seja, para fazer um cronograma de estudos certeiro é sim preciso acrescentar períodos de ócio. Várias pesquisas, inclusive, já falam sobre isso e abordam como a falta de intervalos pode afetar o aprendizado

Por outro lado, não exagere! Lembre-se do seu objetivo central (ir bem na prova, entregar as tarefas ou tirar uma nota destaque no vestibular) e volte ao foco assim que os minutos de descanso passarem

Se precisar de uma ajudinha, acesse nosso post do blog com dicas para parar de procrastinar

Métodos assertivos podem ajudar

Já ouviu falar da técnica pomodoro? O método foi criado nos anos 80 e funciona dividindo o fluxo de trabalho em blocos de concentração intensa, gerando uma melhor agilidade do cérebro e estimulando o foco total.

Esse modelo sugere que você coloque um cronômetro de 25 minutos e, durante esse tempo, não faça mais nada além da tarefa em questão. Após o relógio avisar que o período chegou ao fim, anote os resultados alcançados e descanse por cinco minutos antes de voltar novamente a mais um ciclo. 

Tais práticas fazem com que o cérebro oxigene melhor e aumente sua capacidade mental. O mesmo funciona para cronograma de estudos de longa duração, neste caso, com pausas, a cada quatro etapas do método, de 15 a 30 minutos) para descansar. 

Existem vários sites que podem ajudar você nesse método! Tomato Timer e Promofocus são alguns deles. O Forest, aplicativo para celulares, também é uma opção, juntando elementos de jogos como “Farmville” e “Colheita Feliz” ao processo, o que torna tudo mais divertido! 

Agora que você já tem várias dicas para colocar o seu cronograma de estudos em prática, basta pôr a mão na massa! Lembre-se de sempre respeitar seu tempo, não se comparar e estipular objetivos alcançáveis, ok? 

Bons estudos!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

O que é EAD e como funciona essa modalidade?

Biomedicina Estética: o que é e quanto ganham os profissionais?