in

AmeiAmei LegalLegal UAUUAU

3 coisas para aprendermos com Malala Yousafzai

Malala Yousafzai, hoje com 24 anos, é uma ativista paquistanesa conhecida por muitos por sua luta principalmente pela educação. E mais do que isso: pelo acesso feminino ao ensino!

Nascida em Mingora, a maior cidade do Vale Swat, no Paquistão, ela foi a pessoa mais nova a ser laureada com um Prêmio Nobel. E o que isso quer dizer? 

Que suas contribuições para a humanidade foram tão significativas a ponto de ela ser reconhecida pelo mais prestigiado prêmio disponível nas áreas de literatura, medicina, física, química, economia e ativismo pela paz. 

Leia também: Zendaya: a formação por trás de Euphoria e Homem-Aranha

Depois desta introdução, se você ainda não conhece a história dela, deve estar se perguntando o que de tão grandioso essa jovem fez para o mundo da educação. E essa trajetória pode ser conferida em detalhes, em seu livro autobiográfico: “Eu sou Malala: A história da garota que defendeu o direito à educação e foi baleada pelo Talibã”. 

Mas, de antemão, vale lembrar que o Paquistão é um país muito conservador. Nesse sentido, ainda em 2008, o governo de lá exigiu que as meninas da região não fossem mais à escola.  

Por outro lado, Malala, que adorava estudar, não aceitou a decisão. Ela criou um blog chamado “Diário de uma Estudante Paquistanesa” e logo conquistou a atenção da mídia, mas também do regime Talibã. Por isso, foi atacada, levando vários tiros no rosto.

Nesse sentido e depois de um breve resumo sobre a ativista, chegou a hora de você aprender um pouco mais com ela. Se liga em três ensinamentos que Malala pode nos dar! 

A educação muda o mundo

Antes de mais nada, toda a história de Malala teve como pano de fundo a educação. Logo, esse também foi o primeiro ensinamento que ela nos trouxe com sua luta.

Com um pai dono de escola, e que a inspirou durante sua época adolescente em busca de acesso ao ensino, ela sempre destaca uma frase em suas entrevistas e palestras: “Uma criança, um professor, um livro e uma caneta podem mudar o mundo”. 

E, de fato, mudam! Afinal, foi com esse pensamento que ela deu voz e palco para a situação das meninas e mulheres no Paquistão e hoje se transformou num grande ícone do movimento, abrindo portas também para o seu próprio futuro. 

Sua voz importa

Do mesmo modo, não foi apenas com uma mensagem inspiradora que Malala trouxe tantas reflexões para a sociedade. Foi também com sua forma forte e única de se posicionar!

Em outras palavras, ela poderia ter se amedrontado e desistido de levantar a bandeira da educação quando as ameaças do Talibã começaram a surgir. Por outro lado, foi aí que ela encontrou ainda mais forças para seguir lutando. 

Isso não quer dizer que você deva se arriscar, como a ativista fez corajosamente, e enfrentar barreiras maiores do que você pode lidar. Basta saber o poder da sua voz e não desmerecer suas lutas pessoais!

Somos todos iguais

Ainda que existam inúmeros privilégios diferentes quando falamos de classe e raça, a batalha de Malala é referente ao gênero. E, neste caso, deveríamos todos sermos considerados iguais!

Infelizmente, várias partes do mundo ainda se encontram atrasadas nesse sentido, como é o caso do Paquistão e outras localidades conservadoras. Em contrapartida, cabe a cada um de nós praticarmos nossas pequenas lutas. Tanto em prol da igualdade de gênero, quanto ao acesso à educação como um todo.

Você, dentro da sua realidade, pode sim mudar o mundo!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0
Colagem com um notebook e diploma representando a educação empreendedora

O que é e qual o papel da educação empreendedora?

Google Acadêmico: como usar na sua rotina de estudos