in

Faculdade ou técnico: o que vale mais a pena?

No momento em que esse texto é escrito, estamos entrando no segundo semestre letivo de 2021. No entanto, a dúvida “Faculdade ou técnico?” pode ser uma questão frequente na vida dos estudantes, não importando o período. 

Inicialmente, vale destacar que se você optar por uma graduação, fará parte dos 6,3 milhões de brasileiros em cursos do tipo atualmente, segundo o MEC. Por outro lado, ainda em 2019, cerca de 49,3 milhões de pessoas faziam um curso técnico depois da escola. 

Ou seja: em termos de dados, o Ensino Técnico está na frente. Mas vamos dar uma olhada nas diferenças e semelhanças entre eles? 

Deixo a vida me levar x Pra ontem

Esse subtítulo descreve bem a indecisão entre faculdade ou técnico, afinal, a principal diferença dos dois está na duração

De antemão você precisa saber que um curso de Ensino Superior costuma levar, no mínimo, quatro anos. Isso porque as graduações abordam desde a teoria mais densa, até a prática, no dia a dia da profissão. 

Em contrapartida, o Ensino Técnico vai direto ao ponto! As aulas possuem uma visão de execução do trabalho, sem se apegar muito à tese em si. Isso não quer dizer que tenham menos conteúdo, apenas que o foco principal é outro.

Nesse sentido, um curso técnico leva, em média, dois anos – praticamente metade de uma graduação. 

Mais din din x Menos din din

Antes de tudo e de qualquer decisão, sabemos que investir nos estudos acarreta em bastante grana. Por isso, para falar de faculdade ou técnico, você precisa prestar atenção em diferenças específicas. 

Por ser um curso mais longo, é quase óbvio que a graduação custe mais. Afinal, seja à distância ou presencial, você irá consumir os recursos da instituição de ensino por um tempo maior

Ao contrário está o funcionamento do Ensino Técnico, é claro. Com um tempo menos longo, os preços diminuem e também impactam caso você queira investir em um financiamento ou crédito estudantil, por exemplo (já conhece o CredTEC?). 

Aprender no estágio x Se jogar na prática

Sob o mesmo ponto de vista que falamos no primeiro tópico, você precisa prestar atenção na parte didática da faculdade e do curso técnico. Isso também conta!  

Em outras palavras, além de entender que a graduação dura um período maior, é preciso considerar também a entrada no mercado de trabalho

Usualmente os estágios iniciam a partir do terceiro semestre de faculdade, variando conforme o curso escolhido. Então, se você almeja conseguir um emprego dentro de um futuro próximo, talvez seja melhor optar por um Ensino Técnico!

Este, ao contrário, por ter contato direto com o exercício das profissões, permite uma maior proximidade com a prática das empresas, possibilitando mais chances em vagas específicas.

CredIES X CredTEC

Finalmente chegamos em uma diferença que, apesar de precisar ser avaliada, traz benefícios nos dois casos: CredIES ou CredTEC

Estamos falando do crédito estudantil, é claro, e aqui na Fundacred temos opções para qualquer alternativa!

De maneira idêntica, o crédito para cursos técnicos ou para faculdade permite que você pague uma parte das mensalidades enquanto estuda e o restante só depois! Igualmente, você não precisa comprovar renda para contratá-los. 

Os pontos permanecem semelhantes quando seguimos falando das demais vantagens! Em ambos, você não pagará juros remuneratórios, apenas uma taxa administrativa. Mas calma: ela é a menor do segmento educacional! 
Quer saber mais? Acesse o Portal da Fundacred e simule valores agora! Quem sabe essa olhadinha no site não ajuda você a decidir de vez entre faculdade ou técnico?

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Dia do Economista: o que faz esse profissional?

Tecnologia no mercado de trabalho: três opções de cursos!