in

AmeiAmei LegalLegal

Conheça o Design Thinking e o poder das soluções criativas

De antemão, ao ler esse título, você deve ter questionado o que Design Thinking, palavras que remetem à comunicação, estão fazendo em um blog sobre finanças, educação e carreira no geral. Portanto, primeiro temos que conceituar esse termo, certo?

Antes de mais nada, o Design Thinking vem sim, e por óbvio, do Design. Ele é justamente, em tradução livre, o conceito de pensarmos como o Design pensa. Por outro lado, você não necessariamente precisa aplicá-lo apenas em questões que envolvam esse nicho!

Leia também: Como trabalhar com Marketing Digital?

Por funcionar como um método, ele serve para resolvermos problemas de maneira criativa e como um todo. Nesse sentido, você pode empregar essa fórmula de diversas maneiras e nas mais variadas situações, mas ela costuma ter três fases:  imersão, ideação e prototipação. 

A imersão no Design Thinking 

Na primeira fase, você vai identificar o problema a ser resolvido e, de fato, mergulhar nele. Não importa muito se está tentando solucionar algo no trabalho, na vida pessoal ou apenas criando, as orientações seguem as mesmas. Busque todos os detalhes que envolvem esse problema!

Aplicando essa ideia a uma tarefa do dia a dia, você pode estar tentando encontrar uma solução para sua falta de tempo para os estudos, por exemplo. Utilizando o Design Thinking, é possível montar um mapa, com a ajuda de post its, para visualizar sua rotina diária! 

Cada papel será uma tarefa e, colocando todos juntos em frente ao campo de visão, você identificará seus pequenos intervalos durante o dia, quais tarefas exigem mais tempo e as demandas que são desnecessárias e evitáveis.  

O resultado de todo o processo não será mais apenas um problema, mas sim uma análise completa sobre a questão a ser resolvida! E isso vai facilitar os próximos passos. 

Leia também: Tecnologia no mercado de trabalho: três opções de cursos!

A ideação no Design Thinking

Juntamente com a imersão, a fase de ideação é decisiva para os resultados. Só que agora você já sabe mais do que quando começou!

Nesse momento, a tarefa é transformar o que você analisou, durante a primeira fase, em ideias que solucionem os impasses encontrados. 

Ainda no exemplo anterior, caso você tenha identificado que a organização é uma fraqueza que influencia seu tempo, adotar um planner ou app pode ser um insight bacana. Por outro lado, se os intervalos de descanso é que estão sendo o problema, talvez aplicar um método como a Técnica Pomodoro consiga ajudar! 

Seja como for, elenque propostas que se encaixem com os detalhes encontrados no passo anterior. De preferência e seguindo o que o Design Thinking prega, esses recursos também precisam ser alcançáveis e possíveis de serem adotados, é claro. 

A prototipação no Design Thinking

Por fim, chegou a hora da prototipação. Ou seja: o momento em que você colocará, de fato, as ideias elencadas em prática e validará se elas realmente funcionam e solucionam o seu problema. 

No contexto do exemplo citado, a prototipação pode envolver criar uma conta no Trello, aplicativo de gerenciamento de projetos. Nele é possível ordenar a rotina de uma maneira mais dinâmica e visual, o que resolveria a questão de tempo, caso seu grande impasse seja a organização! 

Da mesma forma, se o obstáculo encontrado na fase um for a distração dos períodos de descanso, chegou a hora de colocar a mão na massa. Com a Técnica Pomodoro, que já citamos, você pode adicionar um despertador no próprio celular e guiar seus intervalos de estudo em blocos de 25 minutos. 

Em conclusão, essa é a etapa em que você realmente testa se uma ideia é boa ou não para a questão levantada. 

Se quiser ir além…

Apesar de termos delimitado três fases em geral, você pode ir além e testar seus insights por mais dias. Dentro do exemplo levantado, isso poderia ser feito com a avaliação de mais plataformas de organização ou outros métodos de planejamento e tempo! 

Após realizar os testes, você também poderia fazer uma lista de prós e contras de cada uma das ideias para, então, decidir qual a melhor resolução com toda a certeza.

Sabemos que para um simples conflito rotina esse empenho maior talvez não seja necessário, mas já parou para pensar em como um método assim, de maneira completa, pode transformar o dia a dia de uma empresa? Ou a sua rotina profissional?

Agora que você já conhece o Design Thinking, vale a pena compartilhar esse texto com outros profissionais e amigos. Quem sabe não contribuímos juntos para uma resolução de problemas mais criativa e simples?!

Leia também: 4 séries para maratonar e refletir sobre profissões

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

4 séries para maratonar e refletir sobre profissões

Dicas de marketing pessoal para aplicar na sua carreira