in

Qual a diferença entre bolsa e crédito estudantil?

Realizar o sonho da graduação nem sempre é uma tarefa fácil, afinal, é algo que requer tempo e dedicação, além de um orçamento que ajude você a economizar enquanto estuda. Para realizar esse sonho, estudantes recorrem a formas de deixar o pagamento mais fácil, contudo, qual a diferença entre bolsa e crédito estudantil?

Primeiramente, é importante entender que quem contrata um crédito estudantil e o estudante que busca uma bolsa de estudos, têm realidades diferentes. 

Essa, talvez, seja a principal diferença entre bolsa e crédito educacional. Isso acontece, pois alguns estudantes que contratam o crédito até podem pagar alguma porcentagem de valor da mensalidade, porém não é possível – para eles – pagar o valor integral. 

A bolsa, no entanto, acaba por ser o objetivo de muitos estudantes que não têm outra forma de arcar com os custos de ensino. Portanto, buscam por essa modalidade para conseguir estudar sem precisar se preocupar com o pagamento.

O que é uma bolsa educacional?

A bolsa de estudos ou bolsa educacional é uma oportunidade do estudante conseguir fazer sua graduação – ou outra modalidade de ensino – sem ter de pagar nada das mensalidades ou pagando apenas uma parte do valor com o restante sendo custeado por quem concedeu o benefício.

Um exemplo bem conhecido de bolsa é o Prouni. Subsidiado pelo Governo Federal, o estudante que quer fazer a graduação com essa modalidade de bolsa precisa fazer a prova do Enem. Depois, é necessário conseguir uma nota acima da nota de corte do curso pretendido para concorrer.

Existem outras formas de conseguir uma bolsa de estudos. Um exemplo é a bolsa por mérito, que premia estudantes que garantiram boa colocação no processo seletivo de entrada na Instituição de Ensino ou que tem bons resultados durante o curso.

Além disso, existem as bolsas de iniciação científica, que garantem desconto na mensalidade para estudantes que trabalham em projetos de pesquisa, por exemplo.

As diferenças entre as bolsas integrais e bolsas parciais

Há estudantes que passam pelo processo seletivo para conseguir uma bolsa que garanta desconto total do curso, ou seja, uma bolsa integral. Geralmente ela é mais difícil de conseguir, independente de quem esteja concedendo.

Afinal, estamos falando de um desconto de 100% do valor da mensalidade do curso pretendido e o estudante não precisará pagar depois. Dessa forma, existe uma ampla concorrência entre os estudantes para garantir o benefício para poder estudar.

Se a bolsa integral é complicada de conseguir, a bolsa parcial se torna uma opção. 

Ela vai pagar metade – ou um percentual pré-determinado pela Instituição de Ensino – da sua mensalidade e o estudante arca com o restante do valor. Também há concorrência entre os estudantes como a integral, mas ainda assim ela se torna uma solução bastante válida.

E o que difere a bolsa de crédito estudantil?

O crédito estudantil funciona, mais ou menos, como uma bolsa de estudos parcial, porém o valor que o aluno não paga durante a graduação, é pago depois da conclusão dos estudos. No entanto, para conseguir um crédito educacional é bem mais fácil.

Por exemplo, para conseguir contratar o crédito estudantil da Fundacred, você só precisa fazer a solicitação online do crédito em nosso Portal. Depois é só seguir as etapas.

Além disso, outra diferença entre bolsa e crédito estudantil também está na forma de solicitação. Para contratar o crédito é necessário apenas… bem, querer e claro, atender aos requisitos. 

Diferente de financiamentos do governo ou bolsas, o crédito educacional pode ser contratado por qualquer pessoa em qualquer momento. Como dissemos antes, não precisa passar pela prova do Enem ou qualquer outro processo seletivo.

No caso da Fundacred, inclusive, é possível contratar mesmo já tendo iniciado o curso. Além disso, estudante negativado pode contratar. E essas são apenas algumas das vantagens de solicitar o crédito.

O que escolher: bolsa ou crédito educacional?

Primeiramente, é preciso entender seu momento de vida e como estão suas finanças. Uma bolsa de estudos é atrativa para o estudante, mas pode ser um processo demorado e que só pode ser iniciado em épocas específicas. No caso do Prouni, se você não fez o Enem em um ano, terá de esperar até a próxima edição da prova para iniciar o processo.

Se você tem pressa de começar a estudar, contratar um crédito é uma opção mais viável. Você contrata em qualquer momento e se atender os requisitos, já passa a aproveitar as vantagens rapidinho. Aqui no blog da Fundacred falamos bastante sobre o assunto, que tal conferir?

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0
Menina pensando sobre Crédito Estudantil

Quem pode ser meu fiador no Crédito Estudantil?

Um homem estudante

Como funciona o crédito estudantil da Fundacred?