in

As carreiras pós-pandemia

Lojas e empresas fechadas, pessoas perdendo o emprego e mudanças grandiosas nos modelos de negócio. Os impactos da pandemia global na economia já são de conhecimento de todos. Para se manterem ativas, as empresas estão precisando se adaptar, investindo nas vendas e no atendimento online, por exemplo. E para os profissionais de diversas áreas, o desafio não é diferente: este é o momento de se reinventar.

As transformações vão muito além do home office

Para algumas empresas, a solução foi adotar o home office como modelo de trabalho. E, nas companhias, o trabalho remoto não era uma prática comum, foram necessárias inúmeras adaptações, desde o uso de salas de reuniões virtuais até a adesão a sistemas operacionais para o trabalho a distância. Os colaboradores acostumados ao cafezinho da firma tiveram que improvisar seus escritórios no quarto, na sala e, algumas vezes, na mesa onde são feitas as refeições da família. A tendência é que, com o tempo, essa nova rotina de trabalho em casa se torne cada vez mais comum.Um novo cenário, novos perfis profissionais

A pandemia global transformou o dia a dia e a vida de muitas pessoas, e vai impactar nas profissões também. Confira algumas carreiras que irão sentir essa transformação e fique atento às habilidades e capacitações necessárias para o futuro:

Profissionais da saúde

A telemedicina e o uso de recursos de diagnóstico remotos, como as pulseiras digitais para monitorar pacientes, vão se tornar cada vez mais comuns.

Professores

A sua presença será mais requisitada em redes sociais, blogs, Youtube, chats e salas de reunião virtuais.

Advogados

Os aplicativos de reunião e ferramentas para petição, acordos e rotinas legais serão uma realidade.

Área Comercial

O domínio de ferramentas de comunicação e e-commerce passam a ser um pré-requisito, considerando a necessidade de atendimento ao público online e o relacionamento com clientes e fornecedores a distância.

Arquitetos

Os projetos tendem a ser ainda mais comprometidos com a sustentabilidade e a biossegurança doméstica e urbana.

Biocientistas

Os investimentos recentes em pesquisas para novas medicações provocaram a valorização destes profissionais, que passam a atuar de forma colaborativa junto a governos e instituições de outros países.

Educadores Físicos

As aulas online, individuais ou em grupo, são uma tendência que exige do professor um repertório e uma didática voltados para o ensino remoto, incluindo o monitoramento de massa, peso, queima calórica e condicionamento físico.

Marketing

Muitos dos profissionais da área já têm experiência com o trabalho remoto, o que promete se tornar ainda mais comum, com um local adequado, em casa ou em um coworking, utilizando o seu próprio equipamento de trabalho.

Psicólogos

O teleatendimento, que ganhou força em diversas áreas da medicina por conta do distanciamento social, segue sendo uma possibilidade para o atendimento aos pacientes.

Tecnologia

As áreas que dizem respeito à infraestrutura tecnológica das empresas irão se valorizar. Gerentes de TI, Designers Digitais, UXs, Gestores de Mídias Sociais e Profissionais de Cibersegurança são alguns dos cargos em alta.

O novo normal 

Como já deu para perceber, o novo normal é trabalhar de qualquer lugar do mundo, onde for possível o acesso a uma internet de qualidade, um computador e um celular. Mas o trabalho remoto, apesar da flexibilidade, exige alguns cuidados também. A iluminação adequada, a altura da sua cadeira, da mesa de trabalho e do computador podem garantir o seu bem-estar e evitar as dores nas costas causadas pela posição incorreta.

É necessário ter uma rotina bem organizada para aproveitar o seu tempo. E, se você for um fã do cafezinho da firma, pode pensar em investir em uma cafeteira para tornar o seu espaço de trabalho ainda mais agradável e produtivo.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Áreas do Direito para atuar após a formatura

Consigo financiar o Mestrado? Conheça as opções

Consigo financiar o Mestrado? Conheça as opções