in

Setembro Amarelo: escute, perceba, converse!

Nesse post, diferentemente dos demais que fazemos com frequência, não vamos falar sobre crédito estudantil. O assunto hoje é delicado e muito importante: Setembro Amarelo, saúde mental e a prevenção ao suicídio

Antes de tudo, você precisa saber que o Setembro Amarelo é uma campanha brasileira de prevenção, iniciada em 2015 e criada em alusão ao dia 10/09, pois é a data mundial de precaução aos atos suicidas. 

A Fundacred, portanto, está publicando em seu Instagram, durante todo o mês, várias postagens informativas sobre o tema. 

Da mesma forma, um evento interno também ocorreu, para conscientização de todos os colaboradores, acerca do assunto. Nosso foco principal, contudo, é levar informação a você estudante! 

Sabemos que a dedicação aos estudos não é tarefa simples, já que exige tempo, disposição, investimento e tantos outros fatores. 

Além disso, as coisas se agravaram durante o momento de pandemia que estamos vivendo e isso é visível ao analisarmos os dados brasileiros!

De acordo com a BBC News, entre 2020 e 2021, o número de estudantes que não trabalhavam nem procuravam trabalho caiu. Ao mesmo tempo, cresceu o percentual de alunos que estão procurando emprego

No ensino médio eram 33% no ano passado e, em abril deste ano, já são 42%. Entre eles, a maioria (44%) está na rede pública e 29% no ensino privado.

Em síntese, as informações mostram que a situação econômica do país tem feito muitos estudantes enfrentarem problemas financeiros. Ou seja, como já falamos, potencializa ainda mais um papel que já é complexo. 

Como resultado de tais reflexões, a Fundacred pediu ajuda ao Centro de Valorização da Vida para repassar alguns pontos importantes sobre acolhimento e amparo. Dá uma olhada nesse conteúdo!

De que forma a ajuda pode ser útil?

Acima de tudo, ao receber ajuda preventiva ou oferta de socorro diante de uma crise, as pessoas que estão passando por um momento delicado podem reverter a situação ao colocar para fora seus sentimentos, ideias e valores, alterando, assim, seu estado interior. 

Sobretudo, essa ajuda pode vir de pessoas comuns ou ligadas a organizações voluntárias como o CVV, que não atua somente durante a campanha de setembro amarelo, mas ao longo do ano.

O apoio pode vir também de profissionais, contribuição muitas vezes indispensável, especialmente nos casos de descontrole e transtornos emocionais e mentais.

Como identificar sinais?

Muitas vezes alguns pedidos de socorro não são expressos com clareza, mas sim por meio de sinais, que podem ser difíceis de serem notados. 

Mudanças bruscas de comportamento, abandono de atividades profissionais e hobbies, doação de coisas às quais tinham apego e alternâncias repentinas de humor são exemplos disso. 

Igualmente, frases soltas como: “eu preferia estar morto”, “eu sou um perdedor e um peso pros outros”, “os outros vão ser mais felizes sem mim”, “queria poder viajar e nunca mais voltar” também são sinais de difícil identificação, especialmente para quem convive com quem passa por isso. 

Quero ajudar fora da campanha Setembro Amrelo. E agora? 

Primeiramente é preciso perder o medo de se aproximar das pessoas e oferecer auxílio. Quem está em crise se percebe sozinho(a) e isolado(a). Logo, se um amigo se aproximar e perguntar “tem algo que eu possa fazer para te ajudar?”, a pessoa pode sentir abertura para desabafar. 

Da mesma forma, nessa hora ter alguém para conversar pode fazer toda a diferença. E qualquer um pode ser esse “ombro amigo”, que ouve sem fazer críticas ou dar conselhos. 

Sob o mesmo ponto de vista, quem decide ajudar não deve se preocupar com o que vai falar. O importante é estar preparado para ouvir, respeitando o momento e a forma de pensar dessa pessoa.

Isso tudo, é claro, em qualquer época do ano. A campanha Setembro Amarelo traz consciência e destaque para esse mês, mas você pode (e deve) ser e pedir ajuda em todos os momentos. 

Esperamos que esse texto tenha ajudado você a identificar sinais preocupantes, em si mesmo(a) e nas pessoas ao seu redor, para que possamos juntos construir um caminho diferente.

Tudo bem não estar bem, mas saiba que você não está sozinho. 💛

Por fim e novamente, se quiser acompanhar a Fundacred lá no Instagram para conferir conferir mais conteúdos sobre Setembro Amarelo (e também sobre outros temas legais), segue a gente. É só clicar aqui

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Monica ou Chandler: quem é você no trabalho em grupo?

Sex Education: quem é você na série?